Em corrida caótica, Perez cai para último na primeira volta, se recupera e vence o GP de Sakhir



E neste domingo tivemos um resultado um tanto quanto improvável de se acontecer, Sergio Perez, aquele que foi dispensado pela Racing Point para a próxima temporada e que por enquanto está sem vaga no grid da F1 em 2021, conquistou não só a sua primeira vitória na F1 mas a da equipe, numa corrida cheia de emoção que ainda tivemos Esteban Ocon da Renault indo ao pódio pela primeira vez na F1 com o seu segundo lugar seguido por Lance Stroll companheiro de equipe Perez que chegou em terceiro, garantindo o seu segundo pódio nesta temporada. 

Mas a vitória de Sergio Perez foi bem diferente de muitas que vemos, o mexicano que largou na quinta colocação e logo já superou Leclerc da Ferrari e assim partiu pra cima de Verstappen e Bottas e tinha tudo pra assumir ou a terceira ou a segunda colocação porém Leclerc quis dar o troco e acabou freando tarde acertando assim o mexicano que rodou e caiu pra último, enquanto o monegasco levou junto com ele para a barreira de pneus Max Verstappen, que tentou escapar do acidente mas não conseguiu e com isso os dois pilotos acabaram abandonando a corrida precocemente. O safetycar foi acionado o que ajudou Perez, pois foi para os boxes ainda na volta 1 trocou os pneus e acelerou tudo o que podia e foi escalando de maneira alucinada o pelotão até que então quando ele se via na terceira colocação viu a Mercedes fazer uma lambança em seu pit stop e com isso o mexicano assumiu a ponta seguido por Ocon e Stroll que também souberam aproveitar as oportunidades e dali em diante eles terminaram a corrida garantindo mais um pódio inédito para está temporada.  

O México que não sabe o que era ter uma vitória na F1 desde 1970, quando Pedro Rodríguez venceu o GP da Bélgica daquele ano com a BRM. 

A vitória de Perez e o terceiro lugar de Stroll fizeram com que a equipe Racing Point assumisse a terceira colocação no mundial de construtores, superando assim a Mclaren, e vão para a última etapa com uma vantagem confortante. 


A Mercedes fez quase tudo perfeito, viu o novato George Russell superar Valtteri Bottas na largada e até a volta 63 tudo indicava que o inglês faria sua estreia na Mercedes com vitória e que a equipe alemã garantiria mais uma dobradinha, mas tudo mudou quando por coincidência Jack Aitkne substituto de Russell na Williams acabou batendo e trazendo o 'safetycar virtual' e naquele momento a Mercedes mandou seus dois carros para os boxes para fazerem a troca de pneus o que causou uma grande bagunça com Bottas tendo problema e Russell tendo que fazer outro pit stop pois estava com os pneus errados, com isso Russell caiu pra quinto e Bottas para quarto, e na volta 70, o inglês superou o piloto finlandês que começou a perder várias posições, e foi na busca pela vitória que estava com Perez, mas na volta 78 a equipe avisou Russell que ele tinha um pneu furado e que ele precisaria ir aos boxes novamente com isso caiu para o fim do grid, e novamente precisou se recuperar, mas com poucas voltas para acabar ele foi capaz de ultrapassar alguns carros e terminar na nona colocação com a volta mais rápida, atrás de Valtteri Bottas que terminou em oitavo. Mas o resultado de Russell pode mudar já que ele provavelmente na bagunça do pit stop, acabou dando uma volta com os pneus que não eram dele e com isso ele pode tomar um DQ por isso. 

Carlos Sainz da Mclaren fez o de sempre, piloto da melhor forma e terminou com um ótimo quarto lugar seguido por Daniel Ricciardo da Renault. 

O piloto que tinha tudo para mostrar trabalho nesta corrida e assim garantir sua vaga na Red Bull para a próxima temporada, foi Alexander Albon, que mesmo sem Verstappen, Leclerc e tendo as duas Mercedes tendo problema, não foi capaz de garantir um pódio e terminou a corrida na sexta colocação seguido por Daniil Kvyat da Alpha Tauri que terminou a menos de 1s do tailandês. 

Lando Norris da Mclaren que largou na 15ª colocação conseguiu terminar a corrida na zona de pontuação. A equipe de Woking que terá uma tarefa dificil para a última corrida do ano, que será em recuperar a sua terceira colocação no mundial de construtores, já que a Racing Point que agora é a terceira no mundial tem 10 pontos de vantagem. 

O brasileiro Pietro Fittipaldi que guiará novamente pela Haas na última corrida desta temporada, terminou na décima sétima colocação, a última posição daquele que terminaram a corrida, atrás de Jack Aitken da Williams, que quando bateu foi logo para os boxes trocar a sua asa dianteira. 


Share on Google Plus

About Raphael Carvalho

0 comentários:

Postar um comentário