O "13" na Formula 1

 A maldição do número 13 começou em 1925, quando o piloto Paul Torchy morreu no GP de San
Sebastián. O piloto francês morreu quando seu carro CV 2L Delage que carregava o nº 13, se chocou contra uma árvore.

Assim a equipe Delage resolveu que não iria participar na competição até o próximo ano 1926 . No ano seguinte em 1926 , o italiano Giulio Masetti que guiava pela Delage com o nº13 em seu carro também ,acabou capotando e ficou prensado dentro do seu bólido na famosa Targa Florio.

A partir dai o nº13 foi considerado como o nº do azar na F1, e apenas "uma vez" alguém conseguiu levar um carro inteiro carregando o n º13 até o fim da Corrida. Correndo em casa o mexicano Moises Solana “preferiu assumir o risco” e quebrar essa maldição, no GP do México de 1963. Sem muitos incidentes,e sem muito euforia , Moises conseguiu largar em 11º lugar e terminou a corrida em 11º lugar ,sem ter se envolvido em qualquer incidente, com sua BRM V8. Mas Moises que achou que a maldição teria acabado, entretanto, acabou morrendo num trágico acidente em 1969 ,  quando colidiu contra um muro.

Então última ocorrência do número 13 num F1 , foi em 1976 no Grande Prêmio da Inglaterra em Brands Hatch . Divina Galica não conseguiu se qualificar-se guiando o Surtees TS16 da equipe Whitting. Mesmo não havendo nada contra o nº13 que seu carro carregava.


Então é assim que começou todo o tabu em cima do nº13 ,que agora será usado em 2014 pelo piloto Venezuelano , Pastor Maldonado ,que terá o nº estampado em sua Lotus.



Share on Google Plus

About Raphael Carvalho

0 comentários:

Postar um comentário