Nick Fry afirma que Alonso poderia ter guiado pela BrawnGP em 2009



Nick Fry que foi diretor-executivo da equipe Mercedes na F1 até março de 2013 quando foi substituído pelo atual diretor-executivo Toto Wolff, também trabalho na extinta equipe de F1, BrawnGP, onde também desempenhou o mesmo papel no único ano da equipe na categoria, declarou em um evento em Madri que Fernando Alonso poderia ter sido quatro vezes campeão do mundo se tivesse aceitado a proposta da Honda para 2009, pois se tivesse aceito o espanhol teria guiado pela BrawnGP e se tornado campeão, o que foi que aconteceu com seu ex-companheiro de equipe Jenson Button naquela temporada .

"Fernando Alonso deveria ter guiado para Ross Brawn em 2009. Se ele tivesse feito isso, hoje ele seria tetracampeão" - afirmou o britânico. 

Além disso Fry foi mais longe e disse que o piloto espanhol que atualmente piloto para a Mclaren-Honda, pode acabar se tornando um caso de talento desperdiçado por causa de suas decisões na tentativa de conseguir um carro com o qual ele possa conquistar seu terceiro título mundial. 

"Alonso pode se tornar um do talento perdido. Se ele tivesse feito decisões melhores, teria conseguido muito mais " - concluiu.

Pode ter parecido uma das piores decisões que Alonso já tomou em sua carreira sabendo hoje o que estaria por vim na temporada de 2009, mas naquele momento permanecer onde estava era uma escolha sábia. Pois vamos considerar o fato de que a BrawnGP era um esforço único de Ross Brawn, com financiamento privado para assim poder pegar o querido carro de 2009 desenvolvido para a Honda, porém sem chassis de reposição além de só 'aos 45 do segundo tempo' conseguiram colocar o motor Mercedes, na visão de todos na época a equipe parecia um caos e ninguém em sã consciência apostava que uma equipe daquela poderia se sagrar campeã no final da temporada. Mas como sabemos, a história foi praticamente como um 'conto de fadas' com a BrawnGP conquistando o título de construtores e o de pilotos com Jenson Button naquela temporada. 


Share on Google Plus

About Raphael Carvalho

0 comentários:

Postar um comentário